domingo, novembro 27, 2005

Falando em Puta : Shopping Center Falconplein

Semana passada fui à uma reunião em Antuérpia (cidade que Guilherme Paranaense ganhou a primeira medalha olímpica para nossa pátria amada em 1920, mas isso não vem ao caso agora) junto com um colega de trabalho.
Finda a reunião, fomos almoçar e resolvemos enrolar por lá para não voltarmos ao trabalho.
Foi aí que tivemos a excelente idéia de ir procurar o bairro das putas. Todas as cidades do mundo possuem um bairro das putas, até Bilac e Mirassol.
Rodamos perdidos pela cidade e apos mais de uma hora de carro encontramos o paraíso.
De fato, a prostituição na europa tem deixado ter combatida pois não se pode vencer ao impossível. Ao invés disso o poder público tem tomado medidas para tornar mais nobre a vidas das putas podendo em contrapartida taxá-las como contribuinte.
A rua das putas de Bruxelas eu já visitei, 500 m de vitrines, ruas limpas e organizadas com as cocotinhas na vitrine. Recentemente descobri que existe uma outra rua paralela a essa com as putas véias (de 40 anos pra cima) e tradicionais. São na maioria belgas, algumas ainda são até bonitas e todas são muito classudas e educadas.
Falconplein, o bairro das putas em Antuérpia, é um lugar realmente incrível. Situado ao lado do porto antigo, era frequentado por marinheiros sifilíticos e por drogados aidéticos. A marginalidade era crescente e colaborava para a degradação irreversível do local. Foi aí que alguém percebeu que aquela região era muito bonita, apesar de abandonada, e que poderia valorizar muito os imóveis e o comércio local se um grande investimento voltado a recuperação urbana do pedaço fosse levada a cabo. E foi.
O antigo porto abandonado foi transformado em marina para endinheirados, os imóveis diretamente instalados às margens da marina foram todos restaurados e se tornaram bares e boites da burguesia. Todas as ruas ao redor foram consertadas, luminárias e sanitarios-públicos foram instalados, marginais e bandidos foram removidos por uma equipe liderada pelo Cabo Bruno e , finalmente, o lenocíneo recebeu sua cartada: a prostituição seria tolerada se os inferninhos se adequassem a uma serie de medidas obrigatórias tais como renovar os imoveis e fachadas, tirar as putas das ruas e relocá-las em vitrines, controles de saúde permanente e, obviamente, pagamento de taxas municipais. Acho que o prefeito era frequentador do pedaço pois, não obstante, construiu uma galeria comercial com um posto de saúde, uma unidade da polícia e umas 100 pequenas vitrines onde cabem uma puta e uma cama. .
O local é arquitetonicamente agradável e bem elaborado e situa-se no coração da zona. Ao redor do shopping, várias vitrines exibem suas atrações. Normalmente, um cartaz A4 caprixosamente feito em computador com imagens do clip-art exibem a bandeira da nacionalidade da putinha junto com o nome de guerra e uma fotinho sexy é afixado na vitrine. Alguns ainda acrescentam informações do tipo: "Sado-hard and soft" , "Neederlander anal", "Pretty face & deep troath". Bom isso, pois as vezes voce passa por uma vitrine e só ve uma cadeira vazia (quando a puta estiver cagando) ou uma cortina vermelha (quando a puta estiver trepando) e os cartazes publicitarios caseiros te ajudam a ter uma idéia se vale a pena voltar mais tarde ou não para apreciar a vitrine. Medida publicitária sabiamente adotada para enfrentar esses tempos de globalização e concorrencia acirrada.
Esses países-baixos vivem me surpreendendo ...

2 Comments:

At 3:36 AM, Anonymous Gu said...

Essa eu vou querer ver. Põe a Antuérpia no roteiro quando eu for te visitar.
beijos
Gu

 
At 7:10 PM, Anonymous Marabita said...

Bizarro...espero que ninguem te confunda...beijos

 

Postar um comentário

<< Home