sexta-feira, novembro 04, 2005

Conversando com Deus



Cenário:
Um apartamento no térreo no qual, da janela da sala que abre-se para uma rua de pedestres, um jovem senta-se para apreciar o movimento.


Recém chegado do trabalho, pego uma lata de cerveja e me alojo sentadinho na janela apreciando o movimento dos estudantes e moradores que vem e que vão. Nesse momento, noto uma silhueta feminina de generosas proporções despontando no horizonte. Atento ao deslocamento da silhueta, quase caio de quatro quando ela atinge a área iluminada da rua e revela-se em uma beleza angélica perfeita.
Foi aí que resolvi contactar Deus mesmo depois de decenios de silencio e desprezo, afinal, Deus perdoa tudo:

" Oi Deus, eu sei que faz tempo que não dirijo a palavra ao Senhor mas eu prometo mudar minhas convicções e reconsiderar sua existencia se eu tiver um pedido atendido em toda a minha vida: Faça com que essa beldade olhe para mim, venha em minha direção, pergunte meu nome, o que eu vou fazer essa noite e se eu tenho namorada. Eu responderei com sinceridade à todas as questões e finalizarei dizendo que sou casado, que amo minha esposa e que infelizmente não poderei compartilhar dessa paixão à primeira vista que a tocou. Ela partirá chorando e se suicidará deprimida pela rejeição. Eu entrarei em casa, beijarei e continuarei a amar minha esposa como sempre, sem diminuir esse amor em nada, porém dormirei com a alma e a auto-estima explodindo de alegria por ter sido notado por uma mulher tão bela."

Deus não me atendeu. A bela belga loira e estilosa seguiu seu passo sem nem mesmo notar a minha tímida existencia sentado no parapeito da janela...
Meio minuto depois, eis que desponta pela rua dois mendigos bebados acompanhados por um cachorro podre. Resolvo dar uma segunda chance a Deus e fervorosamente começo a rezar:

"Oh Divino Deus que rege o universo, eu sei que faz tempo que não conversamos e que eu pedi demais há meio minuto atrás mas agora vou pedir algo muito mais simples e, se o Senhor me atender, eu vou reconsiderar sua existencia e tenho certeza que poderemos ser amigos: Por favor, faça com que esses bebuns não venham encher meu saco. Me torne invisível perante seus olhos empapuçados de cerveja !"

Nesse momento, dois bebados fedorentos me cercam e um cachorro leproso vem lamber minha mão. Eles me contam piadas incompreensíveis, me perguntam se eu teria outra cerveja como a que eu estou tomando para servir para eles. Educadamente digo que não. Continuam a me falar, numa linguagem que desconheço, sobre o governo, sobre o clima e me pedem uma moeda para comprar uma cerveja. Educadamente, enfio a mão no bolso e deposito um euro na mão cheia de feridas do bebum. Eles agradecem e continuam sua caminhada etílica. O cachorro leproso pára de lamber minha mão e, antes de seguir seus mestres, solta um lustruoso cagalhão em frente à minha janela.

Definitivamente, acho que eu e Deus estamos com sérios problemas de relacionamento...

2 Comments:

At 1:37 PM, Anonymous Katia said...

Levando-se em conta que essa cena aconteceu em uma cidadezinha da Bélgica, creio que deus não esteja tão de cara com você assim....

 
At 7:50 PM, Blogger Gui said...

HAHAHAHA

 

Postar um comentário

<< Home