sábado, janeiro 19, 2008

Gugu Dadá - La Katchatcha

Então tá. Joebass foi esquiar e deixou bem claro que espera muito mesmo que eu inaugure a minha coluna aqui no "Life Goes On". Eu ainda estava pensando sobre o que escreveria, já que falar sobre o way of life de Curitiba não interessaria ninguém, quando me deparei com o post aí de baixo onde fui indiretamente intimada a me manifestar o quanto antes. Imaginei que seria interessante criar uma coluna sobre as histórias sórdidas do Joe (as que ele não tem orgulho de contar, claro) e acredito que Guibass iria adorar contribuir com este tema. Mas como irmão a gente desmoraliza ao vivo, porque via blog não tem a menor graça, decidi que virei postar aqui de vez em quando para falar sobre o lado trash de se ter filhos, porque o lado belo já está nos livros de auto-ajuda e comerciais de inceticida.
Era pra eu publicar uma foto minha ao lado do título da coluna para identificar este texto como uma intervenção externa, mas descobri que não sei fazer isso e vou ter que esperar o Joe voltar da estação de esqui pra me ajudar.
Dedico essa coluna a todos que ainda não tem filhos e aos pais que têm culhões de assumir: "É ruim, mas é bom".


Tá esperando nenêm? Compre uma viseira.

O melhor da vida é dar palpite na vida alheia. Observar como os filhos dos outros são mal-educados, como tem família que é dominada pelas crianças, como a vida da fulana seria mais fácil se ela desse uns cascudos naquele guri pentelho que ela pôs no mundo, como você consegue fazer a sua sobrinha brincar quietinha e a mãe dela não tem a mesma capacidade... enfim, né?

Aí um dia você descobre que tem um desses dentro da sua barriga (ou na barriga da sua esposa/namorada/melhor amiga/pior inimiga, tanto faz), e que um dia ele vai sair de lá esperando ser educado por você.
Essa é a parte mais fácil. Muitos planos começam a brotar de sua cabeça deslumbrada e confusa pela novidade. Você sabe quase nada sobre crianças, mas já tem certeza absoluta de que seu filho não vai chupar chupeta porque estraga os dentes e prejudica na amamentação. Ele não vai assistir TV antes dos 5 anos de idade e só vai brincar com brinquedos educativos e livros que desenvolvem as funções cognitivas do indivíduo. Quer coisa mais horrível do que aquelas mães que abandonam as crianças na frente da televisão? Na praia, só debaixo do guarda-sol, com toneladas de protetor solar, de chapéu e óculos escuros, porque onde já se viu aquela criança correndo da barraca para o mar em pleno sol das 11 da manhã? Você nunca vai se dirigir a ele com aquela voz de idiota que subestima a capacidade infantil. Você vai se manter calma 24 horas por dia pois as crianças sentem no ar as energias negativas do ambiente e isso interfere no temperamento delas. Você estará sempre feliz e saltitante e vai brincar de todas as brincadeiras que ele quiser, na hora que ele te pedir e em qualquer lugar. Tudo será resolvido na conversa, sempre. Você nunca vai levantar o tom de voz como aquela mãe fez com o filho no shopping na frente de todo mundo. E a palavra "não" terá que ser substituída por conversa e argumentação, pois o "não" é uma carga muito negativa pra criança e seu uso deve ser burocratizado.
Seguindo esses conceitos, seu filho será uma criança fofinha, educadinha, compreensiva e penteadinha que NUNCA vai te fazer passar carão ao se jogar no chão do supermercado gritando "eu querooooo". A fórmula da boa educação tá pronta. É só usar e terá um anjinho em casa.

Pode rir agora. Mas alguma dessas coisas você vai pensar. Te garanto.

Bem, passados os primeiros mêses do bebê parido, morando na sua casa, se acostumando com você e seu companheiro(a), você vai começar a notar que este ser tem personalidade e vontade própria e que você não pode fazer nada pra mudar isso. É aí que entra a viseira. Porque vai ser uma saraivada de cuspe na testa sem precedentes. E sem data definida para terminar. Tudo o que você cuspiu pra cima vai voltar quando você menos esperar.

Num dia ele é apenas um bolinho de carne que mama, caga e chora. De repente você percebe que está sendo manipulada para pegá-lo no colo, ou tirá-lo do berço, ou levá-lo pra rua, depende da preferência de cada bebê. Manipulada por um bolinho de carne. Aí, vem a velhinha do apartamento ao lado te lembrar que a chupeta é um ótimo calmante pra nenenzinhos nessa fase, e lá vai você tomar a primeira cusparada no meio da testa.

Depois vai acontecer de você estar na casa de algum amigo que tem filhos pequenos e a tv deles estar ligada no Discovery Kids (um canal da NET do qual todos os pais acabarão, cedo ou tarde, virando dependentes). De repente começa o programa do Barney, aquele dinossauro roxo com voz de idiota, e seu filho dançará ao som do tema de abertura. Você vai achar bonitinho e ficará um pouco assustada também, mas já sairá de lá sabendo que o Discovery Kids fica no canal 45. Um dia, você vai estar apertadíssima pra ir ao banheiro e seu filho vai estar te enchendo o saco querendo colo, e você escutará uma voz lá no fundo da sua cabeça: "canal 45..." Coloque a viseira, pois será a primeira cagada tranquila depois que seu filho nasceu. Depois disso você vai perceber que também pode lavar louça, fazer comida, colocar o lixo no corredor, pentear os cabelos e escovar os dentes.
Praia é um bom lugar pra usar viseira. Faz bem pra pele. Ainda bem. Porque você não vai querer ficar brigando com seu filho pra que ele aceite ficar de chapéu ou óculos. Já basta a choradeira que foi pra passar o protetor solar. Tem mais: você não vai conseguir fazer com que ele fique embaixo do guarda sol e quando der 10 da manhã e o "sol bom" terminar, ele só vai sair da areia debaixo de suborno com doces nada saudáveis, pancada ou ameaça de castigo (depende da dinâmica dos pais).
Você vai ficar muuuuito cansada e perder a xana e ter chiliques assustadores. Vai xingar seu filho de filho da puta (ah se vai), sair pisando duro, vai deixar ele acuadinho e depois morrer de remorso. Vai dar pelo menos um tapa na bunda dele e vai morrer de remorso de novo e vai prometer que nunca mais dará palmadas nele de novo (talvez nunca dê mesmo... depois eu conto).
Cedo ou tarde você vai estar sem saco e trocará a argumentação pelo clássico: "porque não" e o NÃO será sua palavra de fundo. Não faça isso, não suba aí, não pode. Não quero brincar agora, não vou comprar chocolate. Não te conheço (com cara de paisagem enquanto sai de fino e deixa ele deitado no chão do mercado - porque por mais gentil que você seja e por mais anjinho que ele seja, um dia ele VAI deitar no chão do supermercado).
E SIM, você vai falar com voz de idiota com o seu filho e ainda inventará apelidinhos meigos como qualquer mãe saltitante, porque você será totalmente apaixonada por ele.
Cusp, cusp, cusp, cusp. Tudo no meio da sua testa.
Não adianta seguir nenhuma fórmula milagrosa porque, no final, você vai descobrir que existem coisas feias bobas e chatas que já nascem com o ser humano. Ele pode se mostrar violento sem nunca ter assistido a um episódio dos Power Rangers, contar mentiras sem nunca ter sido enganado (coisa que os pais, acho, começam a fazer lá pelos 3 anos da criança... depois eu conto), chorar por pura manha e, sim, se jogar no chão do supermercado.
O negócio é relaxar e saber que, assim como nós, nosso nenêns também vêm com defeito.



Mamãe sendo espancada por um nenêm de um ano e meio.

3 Comments:

At 5:30 PM, Anonymous Whisky said...

Highway, Guda!
Eu também ainda não entendi como consigo fazer meu sobrinho brincar quietinho comigo e a mãe dela não tem a mesma capacidade. HAHAHA! Mas outro dia tive que assistir às intermináveis e sonolentas 200 voltas ovais de uma corrida na ESPN porque o anjinho ficava falando "carro, carro, carro".
Kisses...and Justice for all

 
At 5:30 PM, Blogger Katchatcha said...

Highway, Whisky!
Poisé, e isso nem é a coisa mais idiota que a gente faz por eles. Se você morasse perto do seu sobrinho, já teria decorado um repertório infinito de canções infames. E essa é a graça!
Byway Whisky

 
At 7:22 PM, Anonymous Xispita said...

Amei essa coluna, Katia, tô rindo até doer o fígado...me encontrei aqui..ser mãe é um sacrificio maravilhoso...como uma mãe especial aprovo com louvor suas investidas aqui..beijao

 

Postar um comentário

<< Home