terça-feira, fevereiro 21, 2006

O Efeito Borboleta - Parte 2

... continuando

Recentemente fiquei sabendo que desde que me registrei como habitante do Reino Democrático da Bélgica minha carteira de motorista não tem mais valor legal por aqui e eu não posso dirigir mais com ela. A solução é simples: ir até a prefeitura da minha cidade, entregar minha carteira brasileira para as autoridades e receber após 45 dias uma carteira de motorista belga. A idéia não me agradou muito pois corro um risco enorme dirigindo sem permissão e uso o carro o tempo todo para trabalhar. Se um panaca bater em mim, mesmo que não seja minha culpa, pego de um a seis meses de cana e mesmo tendo seguro eu teria que pagar todas as despesas do conserto do meu carro e do carro do imbecíl. Mas resolvi correr o risco e entregar minha carteira de motorista na prefeitura.
Quando o funcionario retirou a carta de dentro daquele plástico mofado, para nossa surpresa o documento estava rasgado na dobra e separado em dois pedaços: parte da frente e parte de trás.Não obstante, constatamos juntos que não existia nenhum número, código ou nome que atrelasse as duas partes. Eu poderia, por exemplo, usar a minha parte da frente com meu nome e numero da carteira mas usar a parte de trás de outra pessoa com a data de expedição e a data de validade.
Era óbvio que as duas partes eram do mesmo documento mas burocraticamente o funcionario nao poderia aceitá-la. Restou-me tres opções: validar minha carteira de motorista junto ao consulado, tirar uma carteira por intermedio de uma auto-escola ou pedir para o meu pai uma segunda via da minha carteira de motorista.
A primeira opção não deu certo, o consulado não validou o documento pelo mesmo motivo da prefeitura de Louvain: as duas partes estavam separadas. Fui atrás da segunda opção, auto-escola. Para meu desespero descobri que tenho que fazer no minimo 20 horas-aula a 50 euros a aula e ainda pagar mais uma porrada de taxas. Batendo no lápis deu quase 1.200 euros A carteira que eu recebo é provisória por um ano e eu não posso dirigir sozinho, tenho que ter sempre um adulto responsável do meu lado. Então não me restou alternativas, liguei pro meu pai e pedi para ele ver que documentação ele precisaria para tirar uma segunda via da carteira de motora pra mim. Foi com acido gástrico remoendo do estomago até a garganta que eu ouvi a resposta do meu pai por telefone ontem: " Aê filhão, manda pra cá uma procuração, duas fotos atualizadas 3x4, a carteira de motorista inválida e o ORIGINAL DA SUA CARTEIRA DE IDENTIDADE" e ainda frisou "Tem que ser o RG original, não pode ser o seu CREA".

Em suma, preparem a carne e a cerveja, reservem mesa na Cachaçaria Brasil por uma semana pois estarei aí em breve.

1 Comments:

At 2:55 AM, Anonymous Guda said...

Minha casa é perto do bar!!!
Pode ficar aqui.

 

Postar um comentário

<< Home